Primeiro voo directo entre Portugal e a China concluído com êxito

O primeiro avião a fazer a ligação aérea directa entre a China e Portugal aterrou ontem, por volta das 08h30, no aeroporto de Lisboa. A ligação demorou cerca de 13 horas e é feita pela transportadora Beijing Capital Airlines.

Na cerimónia de chegada do voo, estiveram presentes o Ministro do Planeamento e das Infrasestruturas, a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, o presidente do Conselho de Administração da ANA Aeroportos de Portugal/VINCI Airports, Miguel Frasquilho e secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d'Oliveira Martins, entre outros.

Durante o seu discurso, o Ministro do Planeamento e das Insfraestruturas classificou como histórico o primeiro voo directo entre Pequim e Lisboa, salientando que a esta ligação é a verdadeira rota aérea da seda do século XXI. "O potencial [destas ligações] é muito importante do ponto de vista turístico, mas também económico. Significa muito mais oportunidades para as empresas portuguesas se aproximarem do mercado chineses, no reforço das relações económicas com empresas chinesas e reforço do potencial das relações políticas entre os países" - declarou.


A poucas horas da partida do primeiro voo entre Pequim e Lisboa, o Embaixador de Portugal na China, Jorge Torres-Pereira, disse, em declarações à Agência Lusa, que Portugal pode ter como objectivo chegar a um milhão de turistas chineses por ano.

Em 2016, Portugal recebeu perto de 200 mil turistas chineses.

Portugal conta actualmente com nove centros de emissão de vistos na China, distribuídos pelas cidades de Pequim, Xangai, Hangzhou, Nanjing, Chengdu, Shenyang, Wuhan, Fuzhou e Guangzhou, sendo por isso cada vez mais simples e conveniente requerer visto para Portugal.

Os primeiros voos entre Pequim e Lisboa contaram com uma ocupação média de 90%. Na cerimónia de chegada do voo Pequim-Lisboa, o Ministro do Planeamento e das Insfraestruturas adiantou que está previsto ainda este ano o reforço das ligações com mais um voo no Inverno.