Entrevista de Secretário de Estado da Internacionalização à Xinhua

 O Secretário de Estado da Internacionalização de Portugal, Jorge Costa Oliveira, recentemente, em Pequim, que os projectos que envolvem o porto de Sines e os planos de interconexão da rede elétrica de Portugal com a rede elétrica do norte da África são as duas grandes iniciativas chinesas que vão certamente traduzir-se em investimento chinês em Portugal.

"Esses serão os dois primeiros projectos onde haverá seguramente um trabalho conjunto entre as instituições e as empresas dos dois países", disse Jorge Costa Oliveira à Xinhua.

O Secretário de Estado português esteve em Pequim para participar no Fórum de Cooperação Internacional "Uma Faixa, Uma Rota", que decorreu no dias 14 e 15 de Maio na capital chinesa.

"Relativamente ao OBOR ("Uma Faixa, Uma Rota", na sigla em inglês), estamos a trabalhar para colocar o porto de Sines na Nova Rota da Seda Marítima e na Rota da Seda terrestre ferroviária (...) e nós, que temos a State Grid como um dos principais investidores e acionistas da nossa rede elétrica nacional, estamos precisamente a trabalhar de forma articulada para, em conjunto, criarmos um grande projecto que é o da ligação da rede eléctrica portuguesa com a rede elétrica do norte da África através de Marrocos", explicou.

O Secretário de Estado português falou ainda sobre as expectativas em relação ao fórum e sobre a contribuição que a iniciativa chinesa "Uma Faixa, Uma Rota", proposta pela China pela primeira vez em 2013, tem a oferecer ao mundo.

"Nós esperamos que fique consolidada a ideia de que o fórum é uma iniciativa chinesa, mas que é uma iniciativa também que interessa e é muito útil a muitos outros povos em várias partes do mundo. A maior contribuição da iniciativa é a lançar programas maciços de investimento que vão, por um lado, permitir a muitos países passar a ter infraestrutura que de outra forma demorariam muito mais tempo para serem colocadas no mapa e, por outro, vão criar novas formas de aproximação entre vários países e, desta forma, promover a estabilidade a nível internacional", disse Jorge Costa Oliveira.

Durante os últimos sete anos, Portugal foi um dos países europeus que recebeu mais investimento chinês per capita na Europa. Segundo dados oficias chineses, o valor das trocas comerciais sino-portuguesas entre Janeiro e Fevereiro deste ano foi de 297,8 milhões de dólares.

O representante português disse ainda que a globalização está num momento de viragem e que países como a China têm o potencial de alterar o panorama internacional.

"O momento de viragem em que nos encontramos é aquele em que alguns dos países emergentes, entre os quais a China, estão a mostrar que não têm apenas capacidade para tratar das indústrias transformadoras, mas que também têm capacidade para criar bens de capital e tecnologia. Basta ver como a China já é o país que mais regista patentes", afirmou Jorge Costa Oliveira.

Fonte:Xinhua